Escada em espiral. A escada tem corrimãos de madeira escura. Os degraus são em madeira clara.

Perguntas frequentes

– Quando o Museu do Ipiranga foi criado?

O Museu do Ipiranga foi inaugurado em 7 de setembro de 1895. Concebido inicialmente como um monumento à Independência, foi adaptado para se transformar em museu. Primeiro, recebeu um acervo de História Natural. A partir do primeiro centenário da Independência, passou por uma reformulação e passou a privilegiar coleções ligadas à História do Brasil e Paulista.

– Quais os dias e horários de funcionamento do Museu do Ipiranga?

O Museu do Ipiranga funciona de terça a domingo, das 11h às 17h.

– Como consigo ingressos?

A oferta de ingressos é feita em nosso site, no botão “Adquira seu ingresso” em nossa homepage.

Todas as sextas-feiras, a partir das 10h, disponibilizamos os ingressos para a semana seguinte.

– Qual o valor dos ingressos?

Os ingressos serão gratuitos até o dia 6 de novembro.

– Quantos ingressos cada pessoa pode reservar no site?

É possível reservar até 4 ingressos por CPF.

– Como fazer reserva de grupo?

As reservas em grupo serão oferecidas a partir do dia 1º de outubro. Já o serviço de visitas guiadas pela equipe educativa do Museu será oferecido em 2023.

– Os ingressos são individuais?

Sim, cada ingresso vale para uma pessoa.

– Posso ceder meu ingresso para outra pessoa?

Sim, os ingressos são transferíveis.

– Crianças necessitam de ingresso?

Somente crianças com mais de 6 anos de idade necessitam de ingresso.

– É necessário o comprovante de vacinação contra a Covid-19?

Sim. Maiores de 12 anos devem apresentar o Certificado Nacional de Vacinação contra a Covid-19, referente a aplicação de pelo menos uma dose.

– O Museu conta com estruturas de acessibilidade?

Sim. O Museu está equipado com elevadores, rampas de acesso e diversos recursos para exploração do acervo. Os itens de acessibilidade para apreciar as obras incluem telas táteis, maquetes tridimensionais, dispositivos olfativos, reproduções 3D e em materiais semelhantes às peças originais, como pedra e metal, cadernos em Braile, amostras de texturas e objetos adquiridos especificamente para o manuseio dos visitantes.

– Como consultar a biblioteca do Museu?

Os acervos da biblioteca do Museu do Ipiranga integram o Sistema de Bibliotecas da USP e podem ser consultados no sistema Dedalus – Banco de Dados Bibliográficos da USP, por meio do site www.usp.br/sibi.

– É permitido o uso de imagens do acervo?

As imagens dos acervos do Museu que estão na plataforma Wikipedia poderão ser baixadas e carregadas com a licença Creative Commons (CC) – CC-BY-4.0, que permite o uso das imagens sem a necessidade de autorização, respeitando-se os Termos e Condições de Uso estipulados na plataforma. Saiba mais sobre as licenças aqui.

Os itens dos acervos que não estão em domínio público e, portanto, que não integram o acervo disponibilizado na plataforma WikiGlam, dependerão de autorização de liberação do uso patrimonial.

Para mais informações, acesse o link Solicitação de imagens.

– É possível realizar um evento no Museu do Ipiranga?

Sim. Entre em contato com a direção pelo e-mail dirmp@usp.br.

– Como faço para trabalhar no Museu?

O Museu do Ipiranga é uma unidade da Universidade de São Paulo e realiza os processos seletivos de colaboradores por meio de concursos públicos. Os editais são divulgados no Diário Oficial do Estado de São Paulo, disponível no link imprensaoficial.com.br.

– Como posso colaborar financeiramente com o Museu?

No nosso site, acesse a aba Apoie e saiba como contribuir. Há opções para pessoas físicas e para empresas, com e sem incentivo fiscal.

– Qual instituição administra o Museu do Ipiranga?

O Museu do Ipiranga é uma unidade da Universidade de São Paulo, parte do conjunto de museus da universidade.

– Houve algum morador ilustre no prédio que abriga o Museu? Foi D. Pedro I?

Não. Na verdade, o prédio que abriga o Museu do Ipiranga, inaugurado em 7 de setembro de 1895, sempre foi destinado à atividade museal. Sendo assim, nunca abrigou moradores, como D. Pedro I.

Porém, vale mencionar que os restos mortais do primeiro imperador do Brasil, bem como os das suas esposas, as imperatrizes Leopoldina da Áustria e Amélia de Leuchtenberg, repousam na Cripta Imperial do Parque da Independência, em frente ao Museu do Ipiranga.